dez
04


I {inspiro

ei, velhinha
você estava certa quando,
no átimo da pirraça,
eu mandava tudo às favas,
e você,
algo entre vingativa e mãe,
dizia:
“um dia
vai sentir tanta, mas tanta falta da gente
que vai até chorar”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


II {suspiro

em se tratando dessa espécie de saudade
(sem esperança de matar, visto que a morte já selou o destino ao seu modo)
não há muito a fazer:
chorar, às vezes.
deixar a ausência criar raízes nas artérias do coração.
assumir, sem vergonha nem autopiedade, esse estar à deriva.
você, que é derivado do amor
dessas duas pessoas,
pai e mãe,
hoje apenas latentes
na estratosfera da vida.

Por Monica Ramalho

Você pode deixar uma mensagem, ou um trackback do seu próprio site.

6 respostas to “Saudade fez uns versos em seu lugar”

 
  1. Deise disse:

    lindos poemas. Adorei.

  2. Arlindo disse:

    Que bonito, Monica, emocionante!

  3. Helô disse:

    poxa, que bonito! quisera suspirar os seus suspiros pra ver se aquietava a dor das minhas perdas… caraca, essa é uma saudade phoda, não aplaca nunca… minha mãezinha e meus 2 manos queridos… gostei pra caramba de ler os seus poemas, sabia?

  4. Andrea Mozin disse:

    Emocionante….

  5. Adorei os suspiros. Sobretudo o suspiro II. 😉

  6. Sonia Ferreira disse:

    Obrigada Monica pelos belos versos.Acalmaram um pouco a saudade dos meus.Bj.

 

Deixe seu comentário

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música