nov
06

Com curadoria da jornalista e escritora Monica Ramalho (brasiliense criada no Rio de Janeiro) e produção da Baluarte Agência, do Rio de Janeiro, a série ISSO É JAZZ? será realizada na CAIXA Cultural de Brasília entre os dias 12 e 15 de novembro de 2012. Serão quatro shows com formações distintas: o saxofonista e flautista Mauro Senise vai se apresentar com o seu quarteto, o guitarrista Victor Biglione tocará em trio, o quinteto Aquarela Carioca virá com o time completo e o pianista André Mehmari (foto) fará um concerto solo. Nos roteiros, temas autorais e reinvenções de clássicos. Quais são os limites entre o instrumental brasileiro e o jazz mundial? De que forma um vem influenciando o outro ao longo das décadas?

“Foi pensando nisso que criamos a série ISSO É JAZZ?, cujo nome se escreve assim mesmo, em tom de pergunta. Porque a linguagem jazzística tanto pode nascer no couro de um pandeiro, como nas cordas de uma guitarra, nas teclas de um piano ou nas chaves de um saxofone bem brasileiros”, explica a curadora. “E o mesmo vale para os músicos gringos? Stan Getz encaixou acordes com Tom Jobim, Miles Davis com Hermeto Pascoal, George Benson com Ivan Lins… Vale, sim!”, diz Monica Ramalho, animada por realizar seu terceiro projeto musical na capital – os outros foram “Anjos Tortos, a MPB gauche na vida” (setembro de 2011) e “Contos de Areia – 70 anos de Clara Nunes” (janeiro de 2012), ambos no CCBB Brasília. Programe-se:

MAURO SENISE QUARTETO – segunda, 12 de novembro, às 20h
Um dos saxofonistas e flautistas mais atuantes do país, Mauro Senise tocou e gravou com gigantes como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Caetano Veloso, Wagner Tiso, Gilberto Gil e Luiz Eça. Sua discografia individual soma 18 álbuns. Em 1980, foi um dos fundadores do conjunto Cama de Gato, com o qual lançou seis discos e, há 22 anos e oito discos, mantém um duo quentíssimo com o pianista Gilson Peranzzetta. Para celebrar 40 anos de carreira neste 2012, Senise convidou Gabriel Geszti (piano), Rodrigo Villa (contrabaixo) e Ricardo Costa (bateria) e remodelou o seu antigo quarteto. A nova formação estreou na CAIXA Curitiba em junho desse ano.

VICTOR BIGLIONE TRIO – terça, 13 de novembro, às 20h
Premiado compositor de trilhas para cinema e vencedor de Grammys, o guitarrista argentino Victor Biglione é o estrangeiro que mais contribuiu em gravações e shows da MPB. Tocou no grupo A Cor do Som e gravou dois álbuns com Andy Summers, guitarrista da banda The Police – “Strings of desire” (1997) e “Splendid Brazil” (2002). Lançou três elepês autorais aclamados nos anos 80 e fez outros discos importantes com Marcos Ariel, Zé Renato, Jane Duboc, Wagner Tiso e Cássia Eller, cujo registro permanece inédito. Pode ser ouvido com frequência nos maiores festivais de jazz do mundo. Nesse show, Biglione vai revisitar as linhas jazzísticas da canção brasileira ao lado de Alex Rocha (contrabaixos elétrico e acústico) e Victor Bertrami (bateria e percussão).

AQUARELA CARIOCA – quarta, 14 de novembro, às 20h
Na ativa há 27 anos, o Aquarela Carioca viu a cena se abrir em possibilidades desde a estreia fonográfica, com “Aquarela Carioca” (1989). Além de encabeçar a lista dos dez melhores discos estrangeiros da revista americana “Beat”, conduziu o quinteto ao palco do Free Jazz Festival. Com Ney Matogrosso, lançaram “As aparências enganam” (1993) e viajaram para os Estados Unidos, Portugal, França, Holanda e Suíça, onde tocaram no Festival de Jazz de Montreaux. Formado por Lui Coimbra (violoncelo), Marcos Suzano (percussão, bateria e programações), Mário Sève (saxofones e flautas), Paulo Brandão (baixos e sonoplastias) e Paulo Muylaert (guitarras e violões), o Aquarela vai mostrar em Brasília faixas do seu mais recente álbum, “Mundo da rua” (2008).

ANDRÉ MEHMARI – quinta, 15 de novembro, às 20h
Mais conhecido como pianista embora, na verdade, seja um multiinstrumentista especialíssimo, André Mehmari já compôs e fez arranjos para algumas das mais importantes formações do país, entre elas a OSB, o Quinteto Villa-Lobos, a OSESP e a Banda Mantiqueira. A discografia solo deste músico premiado reúne sete álbuns, com destaque para ‘de Árvores e Valsas…’ (2008), o primeiro dedicado às suas composições. Em duo com o bandolinista Hamilton de Holanda, gravou “Contínua amizade” (2007) e “Gismontipascoal” (2011), e vem cultivando interessantes parcerias com as cantoras Mônica Salmaso e Ná Ozzetti. Na série ISSO É JAZZ?, Mehmari se apresentará solo ao piano.

O Teatro da Caixa fica na SBS Quadra 4 – lote 3/4, em Brasília. Ingressos a R$ 20.

Por Monica Ramalho
Foto de Miriane Figueira

Você pode deixar uma mensagem, ou um trackback do seu próprio site.

Uma resposta to “Brasília recebe ‘Isso é Jazz?’ entre 12 e 15 de novembro”

 
  1. Wilson Garzon disse:

    Tudo bem, Mônica?
    Dirijo o site acima e vou divulgar o evento, utilizando o teu material q está no blog, com referências é claro. Depois te passo o link.
    Morei na década de oitenta em Bsb e foi por lá q fiz a opção pelo jazz ao dirigir o Clube de Jazz de Brasília, fazer programas no rádio, etc…
    Divulgar Brasília é sempre uma grande honra.
    Abçs,
    Wilson.

 

Deixe seu comentário

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música