jul
31

Vinho branco sofre no Brasil. Preconceito? Desconhecimento? Medo de arriscar? Tá, a coisa vem melhorando, mas quem nunca ouviu a frase: “Para mim, vinho só se for tinto”? Confesso que, quando ouço, meu coração se comprime.

Poxa, e logo com o vinho branco que, na teoria, deveria ser uma das bebidas mais consumidas neste nosso país tropical. Sim, sim. Afinal, o vinho branco é mais leve que o tinto e deve ser servido frio entre 7ºC a 11ºC, dependendo de sua estrutura. Uma ótima companhia para dias ensolarados e conversa fiada com os amigos. Vai bem com quase todo tipo de carne branca, saladas e entradas.

Os vinhos feitos com a uva Chardonnay possuem, em geral, aromas cítricos, tostados ou amanteigados; os da uva Viogner tem toques florais e são muito refrescantes. A lista é muito extensa para dizer todas as variedades e aromas que cada uma pode exalar, e, além do mais, essa percepção é muito pessoal. Existem ainda os vinhos que combinam uvas, o que muda tudo. Acho que precisaria encarnar mais umas dez mil vezes para experimentar todas as combinações possíveis!

Mas fica a sugestão: num dia de calor daqueles que pedem algo leve, vá de vinho branco para bebericar ou para escoltar a refeição (claro, que não seja uma rabada). É o desconhecimento que leva ao preconceito. Então, gente, vamos parar com isso que pega mal pacas. Pra quem nunca provou vinho branco, pode ser bacana iniciar com um que seja feito com a uva Torrontés. São florais e bem facinhos de bebericar. Saúde!

* Foto do Getty Images; aliás, outra sem crédito *

Você pode deixar uma mensagem, ou um trackback do seu próprio site.

19 respostas to “'No gargalo': as benesses dos vinhos brancos”

 
  1. feroli disse:

    Estou apaixonado pelos vinhos brancos. Alguns chardonnay são simplesmente fantásticos e diferentes entre si (dependendo do continente onde são plantadas as uvas).
    Quais os seus preferidos?

  2. Val Becker disse:

    Eu não só ouvi como sempre falei “Vinho, pra mim, só se for tinto”… hehehe!
    Mas te confesso que desde aquela degustação, comecei a descobrir que o branco pode me agradar também!
    Vale sempre a boa dica, pois não conheço muito os brancos, não!
    Repito a pergunta do Feroli 🙂

  3. monica disse:

    pois é. até aquela degustação dos sonhos, eu só bebia o ‘casal garcia’ (adoro aquelas garrafas azuis). mas depois de provar taças bem melhores, vai ser mais complexo escolher vinho branco 😉

  4. Claudia Holanda disse:

    Fero, pode crer. Eu tb adoro vinhos brancos.
    Preferidos? Bem, já bebi muito bons Chablis, riesling alemães e Gerwurstraminer.
    No Brasil, tem o ótimo Chardonnay do Orgalindo Bettú, da vinícola Vila Francioni. Um vinho lindo, digno e marcante.
    Mas aquele Angelica Zapata Chardonnay também não deve nada a ninguém..

  5. Claudia Holanda disse:

    Ih, num tinha lido teu comentário, Val.. A resposta acima vai pra vc tb. beijosss

  6. monica disse:

    e qualé a média de preços desses vinhos todos que você indicou aí em cima, flor?

  7. Val Becker disse:

    Maravilha, Claudinha!

    Mas tem um que eu e Monica gostamos, português, meio licoroso… como se fosse um Porto, só que branco.
    Acho que comentamos com você lá.
    Será que você lembra qual é?
    😐

  8. Claudia Holanda disse:

    hum…. esses daí pode crer que estão acima dos sessenta pilas, moniquinha. O céu é o limite. A variação de preços para os finíssimos vinho de uva riesling alemães e os mega aromáticos gerwurstraminer (da Alsácia ou da Alemanha) é imensa… Há produtores e produtores…
    O chardonnay da vinícola Francioni está acima dos cem reais, mas é um vinho pra ficar ma memória.
    O Angelica Zapata , creio que está na faixa dos 60 reais ou mais. E também é um vinho delicioso.

  9. feroli disse:

    Existe Porto branco (e são ótimos).
    Ninguém é fã de sauvignon blanc?

  10. Val Becker disse:

    Tá vendo, sou uma negação em vinho branco.
    To adorando aprender um pouco aqui!
    :)))

  11. feroli disse:

    Se Cláudia não escrever sobre vinho do Porto….será um desperdício.
    Acho que são os vinhos mais caros que ando comprando.

  12. Joana disse:

    Cláudia, eu não gosto de vinho branco! sabe, é “branco”, acho muito sem graça, não tem aquele prazer do rubi! Até já bebi vinhos brancos, o sabor é bom, acompanham bem uma refeição feita ao sol do inverno, na grama do jardim, próximo à piscina e ao orquidário. Mas eu não gosto deles não! prefiro os tintos. Fazer o que? tá vendo como sou chata rs rs ! Mas vou fazer o seguinte, estou indo para Itaipava neste final de semana e prometo, vou tomar uma taça de vinho branco para quebrar preconceitos.

  13. Claudia Holanda disse:

    Val, eu num lembro do nome do vinho mas aquele português branco licoroso era de uva moscatel.
    Fero, vou levantar uns dados e escrever sobre Porto, vinho emblemático da terrinha.

  14. Claudia Holanda disse:

    Boa medida, Joana. Uma tardinha de sol em Itaipava pede um branco.
    Santé!

  15. Lilian disse:

    Oi Claudia oi pessoal
    Penso que todo o problema começou pelos vinhos brancos que tinha-mos nas nossas prateleiras – sem preconceito pessoal, tem gente que gosta -. Mas quem não lembra ou ate já bebeu do “leite da mulher amada” o liebfraumilch, sim aquele da garrafa azul heheh
    E gente vamos deixar de preconceito, realmente Claudinha, cai muuiiito bem para a nossa cidade maravilhosa, cheia de sol.
    Sugestão leve uma bolsa térmica um belo vinho branco e uma ótima companhia e curta um entardecer na Lagoa é show.
    Mais uma vez Parabéns Claudinha e Moniquinha.
    Beijos
    o

  16. Claudia Holanda disse:

    falou bem, Lilian, liebfraumilch é dose! Êta coisinha ruim..
    Final de semana chegando, com cara de sol. Beber vinho branco em frente à Lagoa tudo fica perfeito.
    beijos

  17. monica disse:

    eu me convido! 😉

  18. feroli disse:

    todos convidados?

  19. Claudia Holanda disse:

    ué, bora???
    final de tarde, neste sábado,
    tipo umas cinco horas…

 

Deixe seu comentário

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música