jun
07

No próximo dia 21 de junho, das 19h às 22h, o Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB) lançará, em evento no Oi Futuro Flamengo, a versão reformulada do seu site, detentor do maior catálogo online da música brasileira e uma das principais referências em pesquisa da discografia nacional. O endereço (www.immub.org.br) traz, agora, uma ferramenta interativa para permitir que os usuários adicionem facilmente ao acervo, músicas e a ficha técnica de discos, antigos ou lançamentos.

“Com mais de 80 mil discos catalogados, a caça àqueles que faltam vira uma espécie de álbum de figurinhas. O objetivo é detectar os mais difíceis de encontrar e completar a coleção”, brinca o produtor cultural, radialista e presidente do IMMuB, João Carlos Carino. “Todo o material recebido passará por validação antes de aparecer, assim garantimos a credibilidade do banco de dados”, comenta.

Foto de Alinne Ourique

João Carino e Luiza Carino em foto de Alinne Ourique

Outra novidade é o portal de notícias, reunindo conteúdos exclusivos de sete colunistas: o jornalista Tárik de Souza (Supersônicas), o músico e professor Henrique Cazes (Um papo com o Cazes), o historiador André Diniz (A Música Popular na República), a jornalista e fotógrafa Monica Ramalho (Som da Meia-Noite), o poeta e compositor Paulo César Feital (Fábrica de Orvalho), o cantor e compositor Carlos Mauro (Todo Ouvidos) e o produtor musical Ricardo Moreira (Deusamúsica – Um olhar relativo sobre discos absolutos).

O site do IMMuB é considerado número um por todos os pesquisadores importantes da nossa música. Tárik de Souza, Hugo Sukman, Jairo Severiano, Alfredo Del Penho, Carlos Didier e Rodrigo Faour, por exemplo, consultam quase que diariamente o catálogo virtual do Instituto, formado por cerca de 30 mil LPs, 32 mil discos 78 RPM, 12 mil CDs, 7 mil compactos e mais de 100 mil músicas para ouvir e 25 mil capas, contracapas e encartes para consultar.

O Instituto elaborou uma série de vídeos com esses e outros pesquisadores a fim de promover o IMMuB nas redes sociais e guardar o seu devido valor para a posteridade, num movimento de conservação da memória que é a essência do trabalho da organização não governamental, sem fins lucrativos. “A tecnologia conspira a favor de quem tem conteúdo”, resume, num dos vídeos, o musicólogo Carlos Didier. “A preservação da música brasileira é a preservação da identidade nacional. O povo se enxerga através da sua música porque ela é o nosso melhor retrato”, diz o biógrafo de Noel Rosa e Orestes Barbosa.

O evento no Oi Futuro Flamengo será aberto ao público, com a presença das equipes de gravadoras e selos parceiros, como Warner Music, Biscoito Fino, Coqueiro Verde e Porangareté. O IMMuB também conta com apoio institucional do Instituto Moreira Salles (IMS), Museu da Imagem e do Som (MIS), Instituto Cravo Albin e PUC-Rio. “As parcerias são fundamentais para a continuidade do Instituto. É a partir delas que nos mantemos ativos nessa cadeia produtiva, que somos lembrados e convidados para participar de eventos e projetos”, afirma a diretora executiva do IMMuB, Luiza Carino.

A DJ Tata Ogan, do projeto “Vitrolinha”, foi a escolhida para discotecar nesta celebração. A noite terá pocket-shows dos cantores Moyseis Marques, Chico Chico e Aline Lessa, degustação das brasileiríssimas Noo Cachaçaria e Cervejaria Molotov, que criou uma cerveja exclusiva para o IMMuB, e sorteios de discos. Tudo de graça e conduzido pelo jornalista e empreendedor Leo Feijó.

Mais de 80 mil discos catalogados
O Instituto Memória Musical Brasileira foi fundado há 11 anos, em Niterói, com a missão de documentar, catalogar e divulgar o acervo musical brasileiro. O site do Instituto é considerado número um por todos os pesquisadores importantes da nossa música, que visitam quase que diariamente o seu catálogo, formado por mais de 80 mil discos, sendo cerca de 30 mil LPs, 32 mil discos 78 RPM, 12 mil CDs, 7 mil compactos e mais de 100 músicas para ouvir e 25 mil capas, contracapas e encartes para consultar. São mais de 500 mil fonogramas de, aproximadamente, 90 mil compositores e intérpretes que o tornam um dos maiores arquivos digitais de informações, sons e imagens da discografia brasileira, disponível na web para consultas gratuitas.

O Oi Futuro Flamengo fica na Rua Dois de Dezembro, 63, no Flamengo, Rio de Janeiro.

Você pode deixar uma mensagem, ou um trackback do seu próprio site.

Deixe seu comentário

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música