jan
09

“Fico pensando se a amizade existe realmente. Não me refiro ao prazer ocasional de duas pessoas que se alegram por ter se encontrado num dado momento de suas vidas em que pensam da mesma maneira sobre determinados assuntos, descobrem os mesmos gostos e preferem as mesmas lutas. Nada disso tem a ver com amizade. As vezes acho que ela representa a relação mais íntima que existe na vida… Talvez por isso seja tão rara. E então, em que se funda? Na simpatia? É um termo impróprio, brando demais: não se pode dizer que a simpatia seja suficiente para levar duas pessoas a se responsabilizarem uma pela outra nas situações mais críticas de suas vidas. Então, em que mais? Não haverá talvez uma pitada de Eros no fundo de todas as relações humanas?”

mãos

* Trecho do romance ‘As brasas’, de Sándor Márai, publicado originalmente na Hungria em 1942 e editado no Brasil pela Companhia das Letras em 1999 e foto de Anthony Marsland *

Você pode deixar uma mensagem, ou um trackback do seu próprio site.

6 respostas to “'Verdades a granel' por Sándor Márai”

 
  1. ha uma pitada de tudo numa amizade.
    mas de fato,para amizade assim como amor,
    eh preciso ter paciencia, entendimento
    para superar qualquer tempestade pessoal de uma parte (ou ambas).
    para q assim a amizade e o amor se mantenham.

    amizade sem amor nao ha.

    belo texto da Sandor

    abs
    bjs
    paul

  2. Gabriella disse:

    Amizade tem uma pitada de amor sim, como diz o cliché é um casamento sem sexo.
    É sentir saudade e querer pegar o telefone a todo momento que ve algo novo, querer compartilhar a vida.
    Engraçado que minha melhor amiga é a minha irmã e não satisfeita com o cargo de irmã-melhor amiga ainda somos gemêas idênticas, uma vida inteira e não encontrei melhor companhia para filmes-músicas, é falar uma palavra e ela entende a frase, como minha mãe diz a parece que estao falando em outra língua ninguém entende nada.

    Enfim moça, o que quero mesmo é uma casa no campo a paz de um amor e os amigos crescendo ao redor ao redor.

    Beijos, bom fim de semana.

  3. Val disse:

    É, Paul… e amor sem amizade tampouco, não?
    Lindo o texto!
    Realmente, concordo que amizade é intimidade e amor com total respeito. Querer o bem de quem amamos. E pra isso é necessário ceder e ter paciência. Isso é a base das relações sadias.

    Tenho uma amiga desde os 3 anos de idade. Outro dia chegamos à conclusão que essa amizade tão forte e duradoura se devia ao fato de nos amarmos sem nunca termos nos cobrado nada! Tivemos 1 única briga aos 7 anos e ficamos tão arrasadas com isso, que NUNCA mais brigamos.

    Desde pequenininhas, uma quer somente o bem da outra, sem egoísmos ou vaidades. Apenas um enorme desejo (Eros) de ver quem amamos feliz.

    É possível!

    Viva a amizade!!!
    🙂

  4. puxa val.
    eu tenho amigos/as ha mais de 30 anos, muito marcante..mas nao os vejo como desejo desde que sai do Brasil.
    tbm me lembro das amizades da infancia, adolescencia..mas se perderam na poeira da historia…

    aqui novas amizades, novos aprendizados..muito diferente..outras circunstancias…e outros sabores….e assim eh a vida…

    o q mais me admira (no bom sentido) eh ver pessoas que viveram juntas (casamento ou namoro) e depois de separadas manterem a amizade. eh um luxo.

    acho q o desejo, o querer eh muito forte e essencial numa relacao.
    mas o tempo abre novas e outras pontes e brechas, outros quereres…
    putz..acho q estou ficando velho…KKKKKKKKKKKKKKKK

    abs
    bjs
    e viva o amor
    viva a amizade

    paul

  5. monica disse:

    queridos, tô adorando toda essa dissertação sobre a amizade, tema que conhecemos bem – incluindo seus percalços. sempre vivi cercada de muitas pessoas e algumas se mostraram lindamente leais até a morte, enquanto outras me feriram fundo na alma. valeram todos os encontros porque me fizeram crescer. e quando chamo hoje alguém de amigo, sei que é amigo de verdade. vou postar mais um ‘verdades a granel’ pra acalorar os comentários de vocês. beijos!

 

Deixe seu comentário

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música