Quem é Monica Ramalho

Nascida em Brasília, no dia 28 de junho de 1976, Monica Ramalho cresceu no Rio de Janeiro, entre Abolição e Jacarepaguá. É autora do livro infantojuvenil ‘Cartola’ (Editora Moderna, 2004), que faz parte da coleção Mestres da Música no Brasil, roteirista e codiretora do documentário ‘Raphael Rabello’, feito em 2005 para o Canal Brasil, e titular da coluna “Som da Meia-Noite”, no site do Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB). Estuda fotografia há quase dois anos, tempo de se formar na Escola de Imagem. Monica descobriu mais uma vocação e segue se aperfeiçoando nos workshops do Ateliê Oriente. Atua como freelancer há muitos anos, mas desde 2009, criou o nome fantasia de uma empresa para representá-la: Belmira Comunicação, que recebe gente com ideias para um café no Humaitá.

Jornalista diplomada pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha) e publicitária pela Escola Técnica de Comunicação (Etec), Monica trabalhou como repórter de economia e música no JB Online, o primeiro jornal brasileiro na internet, entre 1999 e 2002. No mesmo ano, se juntou à equipe da assessoria de imprensa da gravadora Biscoito Fino, atividade que permeia a sua trajetória e ainda desempenha, em projetos especiais. Foi editora da home principal da Globo.com entre 2003 e 2006, ano em que voltou à reportagem, na seleta equipe de Tárik de Souza no site Jornal Musical, do supracitado IMMuB.

Ainda em 2006, se vinculou ao site do projeto A Cor da Cultura, da Fundação Roberto Marinho, transcrevendo para a linguagem da web cerca de 20 programas (‘Nota 10’, ‘Mojubá’ e ‘Ação’), que foram exibidos pelo Canal Futura. Entre 2006 e 2008 foi jurada do carnaval carioca do Grupo de Acesso e, em 2010, do 1º Prêmio de Música Digital. Em 2007, criou edições especiais para os cigarros Dallas na premiada agência Art Office Design, de Curitiba, e viajou por algumas cidades brasileiras fotografando e escrevendo um blog sobre as filmagens da campanha ‘Brasil que Vale’, dirigida por Cacá Diegues, com produção web da África, agência de Nizan Guanaes, para a mineradora brasileira.

Em 2008, iniciou uma frutífera parceria com a Baluarte Cultura, fazendo assessoria de imprensa de vários projetos e produzindo conteúdo para blogs, entre eles da série ‘Conexões Musicais: França-Brasil’, realizada no CCBB Rio, e do projeto educativo Brasil de Tuhu, do Quarteto Radamés Gnattali, no qual ela assumiu a persona adolescente. Entre 2009 e 2011, fez a assessoria de imprensa das quatro edições iniciais do CopaFest, festival de música instrumental brasileira que ocupou os salões do Copacabana Palace, de Bernardo Vilhena, Carol Rosman e Isabel Seixas, do estúdio M’Baraká. Em 2009, criou o site Caixinha de Música, que movimentou ocasionalmente até 2015.

Em parceria com a Baluarte, estreou como curadora da série ‘Isso é Jazz?’, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, em dezembro de 2010. Em 2011, voltou ao Canal Futura para produzir e editar o conteúdo do site A Cor da Cultura, sobre educação e temática africana. Em setembro do mesmo ano, a série ‘Anjos Tortos, a MPB gauche na vida’, foi apresentada no CCBB Brasília. Essa série foi realizada também no CCBB Rio em março de 2012. Em janeiro de 2012, esteve à frente da série ‘Contos de Areia – 70 anos de Clara Nunes’, no CCBB Brasília. Em ambos projetos, assinou a direção artística com a produção da Baluarte. Em julho de 2012, apresentou ‘Isso é Jazz?’ na Caixa Cultural de Curitiba e, em novembro, na unidade da Caixa em Brasília.

Entre julho e novembro de 2012, realizou a sua quarta série musical: ‘Aquele cara lá do baixo’, no CCBB Rio, reunindo cinco dos maiores baixistas do país. Nesse ano, foi convidada pelo Itamaraty para ser consultora e colaboradora da revista ‘Nova MPB’, que será traduzida para alguns idiomas e lançada em vários países, possivelmente em 2017. Em outubro de 2014, fez a curadoria da série ‘Caranguejando – 20 anos de mangue beat’, no CCBB São Paulo. Em janeiro de 2015, fez a curadoria do ‘Verão nas Arenas’, cujos shows se revezaram nas Arenas Cariocas de Madureira, Penha, Pavuna e Pedra de Guaratiba. Entre abril e outubro de 2015, integrou a equipe de Comunicação da Secretaria Municipal de Cultura, sob a gestão do diplomata e secretário Marcelo Calero, ex-ministro da Cultura.

Monica Ramalho escreve regularmente para revistas, como a Carioquice, editada pelo Instituto Cravo Albin, e já colaborou com a Bravo!, com a Voe, feita pela paulistana Spring Editora, e com os suplementos Caderno B e Ideias, do Jornal do Brasil. É assessora de imprensa da banda Isca de Polícia, criada em 1980 por Itamar Assumpção (1949-2003), que está lançando o “Isca – volume 1”, com repertório inédito e autoral, neste 2017, e da cantora Ana Costa, que prepara um novo disco. Coordenou a imprensa da Universal Music entre fevereiro e agosto de 2013, quando teve a oportunidade de lançar CDs e DVDs de artistas da grandeza de Gal Costa, Caetano Veloso e Zeca Pagodinho e jovens promissores como Ellen Oléria, com quem ainda trabalha regularmente, e Filipe Catto. Em 2013, 2014 e 2015, foi jurada do Edital de Fomento à Cultura Carioca, na categoria Música.

Vale citar alguns nomes com os quais trabalhou nesses anos todos, como assessora de imprensa: Hamilton de Holanda, Rosa Passos, Hermínio Bello de Carvalho, Joyce, Victor Biglione, Leila Pinheiro, Verônica Ferriani, Luciana Rabello, Mauro Senise, Alexandre Caldi, LiberTango, Wilson Moreira, Pedro Miranda, Som Imaginário, Matheus VK, Vidal Assis, Valéria Lobão, Antonio Adolfo, Tibério Gaspar, Guinga, Delia Fischer, Federico Puppi, Camerata de Violões e Festival Terra do Rap, entre muitos e muitos e muitos (risos) outros. É uma lista imensa, de verdade. Os mais recentes estão na página: www.facebook.com/belmiracomunicacao/

Atualmente, se dedica em tempo integral à sua Belmira Comunicação e estuda fotografia, paixão antiga e nova profissão, que já começou a desempenhar em junho de 2016. A convite de João Carino, presidente do IMMuB, iniciou a coluna Som da Meia-Noite em maio de 2017, para dar voz aos novos talentos da nossa músicas popular que nunca encontram espaço na imprensa tradicional. Monica está prestes a realizar a série “Quanto Mais Tropicália, Melhor”, nas unidades do CCBB Rio de Janeiro (dias 18 e 19 de agosto) e Brasília (dias 2 e 3 de setembro). Será mais uma (feliz) parceria com a Baluarte Cultura neste 2017. Saravá!

Monica Ramalho

Monica Ramalho

Como me achar

(21) 99163.0840
moniramalho@gmail.com

Arquivo

Caixinha de Música